eleições 2022

O fator Pollyanna Dutra e a nova fase da disputa pelo Senado na Paraíba

2 de agosto de 2022 às 15h04 Por Wallison Bezerra

Anunciada candidata ao Senado Federal na chapa encabeçada pelo governador João Azevêdo, a deputada estadual Pollyanna Dutra passou as últimas horas conversando com aliados mais próximos sobre a decisão de aceitar o convite para abdicar da eleição proporcional – considerada mais confortável – para entrar na disputa majoritária.

O grande desafio da parlamentar a partir de agora será trocar o pneu com o carro andando em altíssima velocidade. Última a entrar no páreo na disputa pela Alta Casa do Congresso Nacional, a sertaneja terá como adversários Efraim Filho (União Brasil), Sérgio Queiroz (PRTB), Bruno Roberto (PL) e Ricardo Coutinho (PT), este último, porém, corre atrás de uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar a condenação de inelegibilidade imposta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com boa imagem e conteúdo político para apresentar aos paraibanos, diante do trabalho que desenvolveu na Assembleia Legislativa da Paraíba, Pollyanna terá menos de dois meses para convencer o eleitor de que merece um voto. Ao contrário dos demais, que já estão com bloco na rua há meses.

Mas, o que pode ter levado a João Azevêdo apostar na solução que surpreendeu boa parte da classe política? A possibilidade de agregar. Interlocutores do Palácio da Redenção fazem a seguinte análise: com trajetória política reconhecida internacionalmente, Pollyanna traz para o centro do debate a figura da mulher, infelizmente pouca lembrada nas chapas adversárias.

Ela completa uma majoritária dividida entre três pilares: João – com imagem de líder -, Lucas – a juventude e representação de Campina Grande -, e Pollyanna – o conceito feminino e posição política ligada ao campo da esquerda. E vai além, é próxima à cúpula nacional do PT, tem bom trânsito com o ex-presidente Lula.

Diferente do que muitos apostaram, de que a candidatura definida do staff de Azevêdo serviria apenas para compor e não competir, a escolha por Pollyanna mostra que o governo vai arregaçar todas as mangas para eleger a segunda mulher senadora pela Paraíba. A partir de agora, a disputa pelo Senado entra em outro patamar, uma nova fase.